quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Carnaval na Escola Ambiental




O carnaval é considerado uma das festas populares mais animadas e representativas do mundo, é uma festa que se originou na Grécia em meados dos anos 600 a 520 a.C.. Através dessa festa os gregos realizavam seus cultos em agradecimento aos deuses pela fertilidade do solo e pela produção. 

É um período de festas regidas pelo ano lunar no cristianismo da Idade Média. O período do Carnaval era marcado pelo "adeus à carne" dando origem ao termo "Carnaval". Durante o período do Carnaval havia uma grande concentração de festejos populares. Cada cidade brincava a seu modo, de acordo com seus costumes.

A festa carnavalesca surgiu a partir da implantação, no século XI, da Semana Santa pela Igreja Católica, antecedida por quarenta dias de jejum, a Quaresma. Esse longo período de privações acabaria por incentivar a reunião de diversas festividades nos dias que antecediam a Quarta-Feira de Cinzas, o primeiro dia da Quaresma. A palavra "Carnaval" está relacionada com a ideia de deleite dos prazeres da carne marcado pela expressão "carnis valles", que, acabou por formar a palavra "Carnaval", sendo que "carnis" em latim significa carne e "valles" significa prazeres.

A história do carnaval no Brasil iniciou-se no período colonial. Uma das primeiras manifestações carnavalescas foi o entrudo, uma festa de origem portuguesa. O entrudo chegou ao Brasil por volta do século XVII e foi influenciado pelas festas carnavalescas que aconteciam na Europa. Em países como Itália e França, o carnaval ocorria em formas de desfiles urbanos, onde os carnavalescos usavam máscaras e fantasias. Personagens como a colombina, o pierrô e o Rei Momo também foram incorporados ao carnaval brasileiro, embora sejam de origem europeia.





Na colônia era praticada pelos escravos onde, no passado, as pessoas jogavam uma nas outras, água, ovos e farinha e acontecia num período anterior a quaresma, portanto tinha um significado ligado à liberdade. Este sentido permanece até os dias de hoje no Carnaval. Depois surgiram os cordões e ranchos, as festas de salão, os corsos e as escolas de samba. Afoxés, frevos e maracatus também passaram a fazer parte da tradição cultural carnavalesca brasileira. Marchinhas, sambas e outros gêneros musicais também foram incorporados à maior manifestação cultural do Brasil.

O Carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, é produto da sociedade vitoriana do século XIX. A cidade de Paris foi o principal modelo exportador da festa carnavalesca para o mundo. Cidades como Nice, Nova Orleans, Toronto e Rio de Janeiro se inspiraram no Carnaval parisiense para implantar suas novas festas carnavalescas. Já o Rio de Janeiro criou e exportou o estilo de fazer carnaval com desfiles de escolas de samba para outras cidades do mundo, como São Paulo, Tóquio e Helsinque.

No Brasil, no final do século XIX, começam a aparecer os primeiros blocos carnavalescos, cordões e os famosos "corsos". Estes últimos tornaram-se mais populares no começo dos séculos XX. As pessoas se fantasiavam, decoravam seus carros e, em grupos, desfilavam pelas ruas das cidades. Está ai a origem dos carros alegóricos, típicos das escolas de samba atuais.

No século XX, o carnaval foi crescendo e tornando-se cada vez mais uma festa popular. Esse crescimento ocorreu com a ajuda das marchinhas carnavalescas. As músicas deixavam o carnaval cada vez mais animado.
O Carnaval do Rio de Janeiro está atualmente no Guinness Book como o maior Carnaval do mundo, com um número estimado de 2 milhões de pessoas, por dia, nos blocos de rua da cidade.

A primeira escola de samba surgiu no Rio de Janeiro e chamava-se Deixa Falar. Foi criado pelo sambista carioca chamado Ismael Silva. Anos mais tarde a Deixa Falar transformou-se na escola de samba Estácio de Sá. A partir dai o carnaval de rua começa a ganhar um novo formato. Começam a surgir novas escolas de samba no Rio de Janeiro e em São Paulo. Organizadas em Ligas de Escolas de Samba, começam os primeiros campeonatos para verificar qual escola de samba era mais bonita e animada.


O Grêmio Recreativo Escola de Samba Estácio de Sá em comemorações aos 105 anos de Ismael Silva, fundador da primeira escola de samba “Deixa Falar” (foto acima).
O carnaval de rua manteve suas tradições originais na região Nordeste do Brasil. Em cidades como Recife e Olinda, as pessoas saem às ruas durante o carnaval no ritmo do frevo e do maracatu




A folia do Carnaval de Pernambuco começa muito antes do carnaval, e acontece de forma mais forte principalmente nos bairros do Recife Antigo, em Recife, e na Cidade Alta, em Olinda e em pequenos focos no restante da cidade. 

No Recife o carnaval tem sua abertura com a saída do maior bloco carnavalesco do mundo, o Galo da Madrugada, no sábado pela manhã. Em 1995, o Guinness Book declarou o Galo da Madrugada, da cidade do Recife, como o maior bloco de carnaval do mundo.




O carnaval de Olinda ostenta dezenas de bonecos gigantes, sendo o mais conhecido deles O Homem da Meia-Noite, que está nas ruas desde 1932 e é responsável por dar início, oficialmente, as zero hora do sábado de Zé Pereira, ao carnaval olindense. Além dos tradicionais blocos e troças que percorrem suas ladeiras, embalados pelo ritmo do frevo.
No interior, algumas cidades têm seus carnavais típicos, como Nazaré da Mata, com o Maracatu de Baque Solto, Bezerros, com os Papangús, Pesqueira com o Carnaval dos Caiporas e a folia dos Caretas, em Triunfo, no Sertão pernambucano, entre outras.


Decoração da Escola Ambiental













Fonte: http://www.suapesquisa.com/carnaval/

http://www.brasilescola.com/carnaval/historia-do-carnaval-no-brasil.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Carnaval


Secretaria Municipal de Educação
Prefeitura Municipal de Lajedo - PE

domingo, 23 de fevereiro de 2014

PLANTIO DE MUDAS ORIENTADO COM PALESTRAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL


Iniciamos esta semana de 17 a 21 de fevereiro a entrega de 100 mudas para repartições públicas, comerciantes, condomínios e locais de acesso ao público, bem como educandários municipais e populares.

Estamos trabalhando muito para um plantio orientado através de palestras educativas e informativas voltadas a Educação Ambiental nas escolas. Para nós não basta apenas o plantio quantitativo,  o qualitativo nas nossas atividades co-relatas são expressamente fundamentais na formação educativa e cidadã.

Receberam mudas esta semana:

  • Assistência Social;
  • Escola Mamé de Bento (Quatis);
  • Moradores do Quatis;
  • Acadêmia das Cidades ( Bairro Novo);
  • Modulo Esportivo CEPEF - Lajedo;
  • Populares;
  • Escola Irene Leão (Bom Jesus);
  • Eliciane Paulo (Empresária);
  • Edvaldo Vieira ( Condomínio e Chácara das Paixões).


Assistência Social


 Quatis

 Irene Leão - Bom Jesus



Secretaria Municipal de Educação
Prefeitura Municipal de Lajedo - PE







sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Coleta de mudas no Parque Histórico Nacional dos Guararapes


“Considerado berço da nacionalidade brasileira e de criação do Exército Brasileiro”


A equipe da Escola Ambiental levou alguns alunos do 8º ano e 9º ano da Escola Mamede Bento do Amaral, do povoado Quatis, para uma visita ao Parque Histórico Nacional dos Guararapes em Jaboatão dos Guararapes, região metropolitana de Recife. Os alunos tiveram a oportunidade de conhecer de perto a história de Pernambuco, participar da rotina dos soldados do Exército que patrulham os limites da área de preservação do PHNG, visitar o Bosque de Pau-brasil, árvore que originou o nome do nosso país e no bosque fizemos a coleta de mais de 350 mudas doadas pela administração do PHNG, que serão distribuídas às escolas e instituições públicas da nossa cidade.

 

 Batalha dos Guararapes

 

A Batalha dos Guararapes, óleo sobre tela por Victor Meirelles de Lima

Histórico

 

Localizado no município de Jaboatão dos Guararapes em Pernambuco, região metropolitana de Recife, os Montes Guararapes guardam a História de sangrentas lutas travadas por luso-brasileiros contra os holandeses, na primeira metade do século XVII, por ocasião da Insurreição Pernambucana.

Foram travadas duas batalhas, a primeira em 19 de abril de 1648 e a segunda em 19 de fevereiro de 1649, abrindo-se o caminho para a rendição definitiva do invasor e sua saída do Brasil em 1654, após assinatura da rendição na Campina do Taborda, em 26 de janeiro de 1654, pondo fim a 30 anos de guerra contra a Holanda.

 

 Criação

 

  Em 1971 é criado o Parque Histórico Nacional dos Guararapes (Decreto nº 68.257, de 19 Abr). Em 1996 é emitida pelo Sr Ministro do Exército a Diretriz Ministerial que regula as ações do Exército Brasileiro no processo de revitalização do Parque Histórico Nacional dos Guararapes.

 

 Montes Guararapes

 

 

  • Monte do Telegrafo; 
  • Monte do Oitizeiro e as 
  • Cotas gêmeas em forma de ferradura onde se encontram a igreja Nossa Senhora dos Prazeres e o Bosque Pau-Brasil.

Na Língua Tupi guarani Guararapes significa:
 “O ESTRONDO DOS TAMBORES”
  

Missão do Exército


Patrulhar exaustivamente os limites da área de preservação rigorosa mantendo o terreno das batalhas dos Guararapes livre de invasões de qualquer tipo.

 
Área de proteção rigorosa

 Pontos Turísticos


  •        Mural do Parque Histórico Nacional dos Guararapes.  
Inaugurado em 1997, imagina-se a curtíssimo prazo inaugurar junto ao mural projeto paisagístico de região de mata atlântica.
  • Administração do Parque Histórico Nacional dos Guararapes

     

     Local destinado a atividades administrativas do Parque. 

     


     

     

  • Mirante Henrique Dias. 
Inaugurado em 1997, o Mirante Henrique Dias tem comandamento sobre o terreno onde se desenvolveram as Batalhas dos Guararapes.   






  •  Igreja Nossa Senhora dos Prazeres.  
Criada em 1656 pelo Governador Geral da Capitania de Pernambuco e Mestre de Campo Barreto de Menezes em homenagem a Nossa Senhora dos Prazeres a quem dedicava grande devoção e a quem foi consagrado a vitória das tropas Brasileiras contra o invasor Holandês.









  •   Bosque Pau-Brasil
Criado em 1997; 600 (seiscentas) árvores de Pau-Brasil. Berçário de novas árvores para fornecimento aos interessados em reflorestar o Estado de Pernambuco com a árvore que deu nome ao nosso país.






  •   Mirante André Vidal de Negreiros na Praça dos Canhões 
O Mirante André Vidal de Negreiros é um dos cinco mirantes planejados para construção do Parque Histórico;
  Na Praça dos Canhões o marechal Mascarenhas de Morais (Comandante da FEB), inaugurou uma placa alusiva a Batalha dos Guararapes.
  Eram os heróis do presente 1945, homenageando os heróis do passado (Batalha dos Guararapes 1648/1649).

























Texto e imagens: Administração do PHNG e Equipe Escola Ambiental

Secretaria Municipal de Educação
Prefeitura Municipal de Lajedo - PE

Postagem em destaque

CALENDÁRIO ESCOLAR ESTADUAL 2020

INSTRUÇÕES NORMATIVAS SEE 08/2017 LINK:http://www.educacao.pe.gov.br/portal/upload/galeria/19310/INSTRU%c3%87%c3%83O%20NORMATIVA%20SEE%...