domingo, 27 de março de 2016

Páscoa no Brasil e no Mundo

 
Páscoa é uma comemoração religiosa que indica o momento da ressurreição de Jesus Cristo, que ocorreu três dias depois de ter sido crucificado. O nome no hebraico significa passagem (Pessach) e é considerada uma das principais comemorações realizadas pelos cristãos.
A data é um feriado móvel, celebrado no domingo, entre os dias 22 de março e 25 de abril. É ela que define todas as outras demais datas móveis comemorada pelos cristãos como por exemplo Paixão de Cristo, Pentecostes, Ramos e Santíssima Trindade. A data foi definida pelo decreto do Concílio de Niceia, no ano de 325 d.C., convocado pelo imperador Constantino, e para sua escolha houveram muitas controvérsias.
Desde a quaresma (40 dias antes da Páscoa), os cristãos se preparam para o período. De acordo com a tradição, como por exemplo da Igreja Católica, é realizado um jejum de carne vermelha em respeito ao sofrimento de Jesus. Não é obrigatório e pode ser feito tanto no período da quaresma, quanto na semana santa.
Em outras culturas, como a dos judeus, a data significa a saída do povo de Deus do Egito, marcando o fim da escravidão. As comidas típicas populares da véspera são semelhantes àquelas consumidas pelo povo hebreu no passado, como por exemplo o pão ázimo (matzá). Em países da Europa e Oriente Médio é comum consumir carne de cordeiro, hábito cercado por significados cristãos. Quem não segue nenhuma das tradições costuma preparar pratos com carne vermelha e doces.
Em outras denominações religiosas, os significados e as tradições, tanto dos símbolos da Páscoa, quanto da comida para o período irão variar de acordo com culturas e costumes ao redor do mundo.
Já em festas de origem pagã, como as feitas pelos gregos e egípcios, no passado, apenas era comemorado a passagem do inverno e a chegada da primavera, ou seja, um tempo de escassez se transformaria em um tempo de fartura e boas colheitas.
Saiba Mais...
Quaresma: é o período de 40 dias antes da Páscoa que tem início depois do carnaval, com a quarta-feira de cinzas e termina com o sábado de Aleluia. Nos períodos anteriores à semana santa os cristãos refletem com orações, jejuns e penitências.
Semana Santa: é na semana santa em que acontecem muitas tradições referentes ao sofrimento, morte e ressureição de Cristo. A sexta-feira que antecede a páscoa, é chamada também de Sexta-feira da Paixão ou Paixão de Cristo. Muitos cristãos fazem jejum na data e evitam o consumo de carne. Um dos principais pratos típicos é o bacalhau. Nesse período acontecem muitas encenações sobre a Paixão de Cristo. A programação da mídia, principalmente dos canais de televisão, são voltadas para a data com muitos filmes sobre Jesus.

Principais Comidas Típicas de Páscoa

Ingredientes mais utilizados:
- Ovos de Chocolate;
- Azeite;
- Peixes;
- Vinho;
- .Feijão de coco;
Umbuzada

Páscoa no Brasil e no Mundo

No Brasil, acontece o Carnaval, em que as pessoas se divertem antes do período de quaresma (e onde muito cristãos fazem jejum), para se preparar para a chegada da Páscoa.
Como o país possui um Estado laico, as manifestações religiosas são livres e cada denominação realiza esse período de forma específica. Nos meses que antecedem a data, o comércio fica agitado com a venda de ovos de chocolate como um presente. Algumas famílias e empresas realizam o ‘Amigolate’, uma troca de chocolates como se fosse ‘Amigo Oculto’. Mas, não são somente os brasileiros que tem comemorações na data, veja como são as tradições e as comidas típicas criadas em alguns países:
  • Estados Unidos - são realizados desfiles e também a caça aos ovos em jardins ou praças;
  • Índia - é realizada a festa Holi, de origem hindu, em comemoração ao deus Krishna;
  • Suécia - as crianças saem nas ruas para pedir dinheiro ou doces, principalmente chocolate, e em troca devolvem aos moradores cartões decorados;
  • Bulgária - há uma tradição de pintar ovos cozidos, abençoá-los e presentear uma pessoa. Diz a história que aquele que guarda o ovo intacto terá um ano de sorte. Além disso, na quinta-feira santa são feitos os pães pascais (kolache ou kozunak);
  • China - é realizado o Ching Ming, uma festa onde os chineses fazem oferendas para levar aos túmulos dos mortos. Espanha - ocorrem procissões e teatros sobre Cristo;
  • México - são realizadas encenações da Paixão de Cristo.

Símbolos da Páscoa

  • Peixe: o peixe é um símbolo porque após a ressurreição de Jesus, houveram algumas de suas aparições com fatos relacionados à peixes;
  • Cordeiro: o significado do cordeiro para os cristãos é que Cristo seria o cordeiro que foi morto para redimir os pecados do povo (o rebanho);
  • Ramos: a festa dos ramos acontece uma semana antes da páscoa para relembrar a chegada de Jesus em Jerusalém, onde o povo o recebeu com folhas de palmeira;
  • Cruz: a cruz além de ser um símbolo da Páscoa, tornou-se o símbolo oficial do cristianismo;
  • Pão: significa o corpo de Jesus que foi oferecido para os discípulos na ceia final;
  • Vinho: o vinho representa o sangue de Cristo que foi servido para os discípulos na última ceia e é considerado um dos símbolos da Páscoa;
  • Círio Pascal: é a grande vela que se acende na Páscoa e quer dizer que Cristo é a luz de todos;
  • Coelho da Páscoa: é um animal com grande capacidade de gerar filhotes, trazendo o significado de fertilidade e também esperança. Foram incluídos como símbolo no final do século XVII, no Brasil, uma tradição alemã. Com o tempo o coelho de chocolate começou a fazer parte das vendas de lojas especializadas, supermercados e padarias;
  • Ovo de Páscoa: a tradição do ovo é antiga e teria surgido com os povos do Mediterrâneo, Oriente e Leste Europeu. O ovo significa nascimento e em outros locais a alegria de uma nova vida (ressurreição).

Pratos Típicos da Semana Santa

Chocolate

Os ovos de páscoa, assim como os chocolates de várias marcas, são usados para presentear amigos e familiares no domingo de páscoa. O ovo, indica riqueza e fartura e nesse período, de acordo com as crenças, a vida está sendo renovada. No século XVIII, os franceses tinham o costume de retirar a parte interna dos ovos de galinha e enchê-los com chocolate. O coelho da páscoa também se tornou um símbolo da data que indica prosperidade.

Bacalhau

O Bacalhau é um peixe rico em ômega-3, cálcio, magnésio, contribuindo para a manutenção do sistema imunológico, bem como a diminuição da quantidade de colesterol e triglicerides no sangue, prevenindo doenças cardíacas, por exemplo.
Por causa da tradição que surgiu na Idade Média, as receitas com bacalhau tornaram-se tradicionais e os cristãos costumam excluir as carnes do cardápio, sendo permitido apenas o consumo de peixe. Apesar dessa data, o peixe foi considerado um prato saudável e por isso passou a ser consumido em qualquer época do ano. O Bacalhau pode ser feito de diversas formas, os mais populares são: Bacalhau à Gomes de Sá, Bacalhau à Zé do Pipo, Bacalhau à Bras, Bacalhau com Leite de Coco e Bacalhoada Portuguesa.

Fonte:http://comidas-tipicas.info/pascoa.html
PREFEITURA MUNICIPAL DE LAJEDO
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

terça-feira, 22 de março de 2016

22 de março - DIA MUNDIAL DA ÁGUA


A instituição do Dia Mundial da Água remonta a 1992, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Na ocasião, A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) criou este evento para ser comemorado no dia 22 de março de 1993, devido à presença de grandes índices de poluição ambiental no planeta. Elaborou medidas cautelosas a favor da água e impôs a consciência ecológica em relação a este bem natural. Assim, é dever de cada ser humano conservar a água que é um grande patrimônio mundial e responsável por todo o equilíbrio do planeta Terra.

É de fundamental importância a conscientização da população mundial em relação à educação ambiental e ao uso racional da água, em atitudes simples do dia-a-dia que fazem a diferença. Se cada um reduzir um a dois minutos do tempo de banho diário, três a seis litros de água serão economizados. Se multiplicar este volume pelo número de habitantes presentes em uma cidade, percebe-se que os resultados trazem impactos positivos e fazem a diferença.

A edição de 2016 do Relatório Mundial das Nações Unidas para o Desenvolvimento de Recursos Hídricos é produzido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), em nome da ONU Água. Com o tema A Água e o Emprego, ele mostra que 78% dos empregos que constituem a força de trabalho mundial são dependentes dos recursos hídricos. “Nós temos algo em torno de 1,5 bilhão de pessoas no mundo que ainda têm problemas de acesso à água, seja em quantidade ou em qualidade. Isso afeta o emprego delas também”, disse o coordenador do setor de Ciências Naturais da Unesco no Brasil, Ary Mergulhão.

A falta de fornecimento de água seguro, adequado e confiável para os setores altamente dependentes de recursos hídricos resulta na perda ou no desaparecimento de empregos e pode limitar o crescimento econômico mundial nos próximos anos, “a menos que exista infraestrutura suficiente para gerenciar e armazenar a água”. O alerta é feito hoje (22), Dia Mundial da Água, pela Organização das Nações Unidas (ONU).


A Unesco estima que mais de 1,4 bilhão de empregos, ou 42% do total da força de trabalho mundial, são altamente dependentes dos recursos hídricos. Também foi estimado que 1,2 bilhão de empregos, ou 36% do total da força de trabalho mundial, são moderadamente dependentes dos recursos hídricos. São setores para os quais a água é um componente necessário em suas cadeias de valores, como construção, recreação e transporte.

Desde os anos 80, a captação de água doce tem aumentado mundialmente em cerca de 1% ao ano, principalmente devido à crescente demanda em países em desenvolvimento, segundo a Unesco. “A redução da disponibilidade hídrica vai intensificar ainda mais a disputa pela água por seus usuários. Isso afetará os recursos hídricos regionais, a segurança energética e alimentar e, potencialmente, a segurança geopolítica, provocando migrações em várias escalas”.

Além do aumento da demanda, as mudanças climáticas são uma ameaça à disponibilidade de recursos hídricos. “A mudança climática levará, inevitavelmente, à perda de empregos em determinados setores. Uma abordagem proativa de adaptação por meio de políticas pode amenizar algumas dessas perdas”.

“A urbanização acelerada e o aumento dos padrões de vida, o aumento da demanda por água, alimentos e energia de uma população mundial em constante crescimento, inevitavelmente, levarão à criação de postos de trabalho em determinados setores (por exemplo, tratamento municipal de águas residuais) e à perda de postos de trabalho em outros”, diz o relatório.


Com o Dia Mundial da Água, espera-se que resíduos, entulhos e produtos tóxicos que são despejadas no meio ambiente sejam reduzidos e evitar a poluição das águas que aparecem sob diversas formas como através de poluição térmica (descarga de efluentes e altas temperaturas), poluição física (descarga de material em suspensão), poluição biológica (descarga de vírus e bactérias patogênicas) e poluição química (acontece devido a deficiência de oxigênio, toxidez e eutrofização).



Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2016-03/dia-mundial-da-agua-78-dos-empregos-no-mundo-dependem-de-recursos-hidricos
http://www.infoescola.com/datas-comemorativas/dia-mundial-da-agua/


PREFEITURA MUNICIPAL DE LAJEDO
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

segunda-feira, 21 de março de 2016

Escola Ambiental e o Colégio Normal no combate ao Aedes aegypti



A equipe da Escola Ambiental esteve no Colégio Normal para ministrar a palestra "Escola Ambiental no combate ao Aedes aegypyi". Os alunos Ensino Fundamental I ( do 2º ano ou 5º ano), manhã e tarde, receberam informações como:
  • Histórico do vetor;
  • características biológicas e comportamentais do mosquito;
  • conheceram um pouco mais sobre os vírus Dengue, Zika e Chikungunya, transmitido pelo Aedes aegypti;
  • assistiram vídeos com algumas dicas de como combater esse mosquito em suas residências.

É preciso sensibilizar os estudantes no combate ao Aedes aegypyi para que se mobilizem e repassem as informações para seus pais, parentes, amigos e vizinhos.



BRASIL: DENGUE

O Brasil é um país que apresenta vários tipos de clima, com predominância do quente e úmido. Essa característica faz com que uma grande quantidade de insetos estabeleça-se em nosso território.


DENGUE

É transmitida pelos mosquitos aedes aegypti. A doença mais grave quando comparada à chikungunya e à zika. O vírus da dengue possui quatro variações: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Todos os tipos de dengue causam os mesmo sintomas.

Quando uma pessoa é infectada com um determinado tipo de vírus, cria anticorpos no seu organismo e não irá mais contrair a doença por esse mesmo vírus, mas ainda pode ser infectada pelos outros três tipos. Isso quer dizer que só é possível pegar dengue quatro vezes.

Caso ocorra um segundo ou terceiro episódio da dengue, há risco aumentado para formas mais graves da dengue, como a dengue hemorrágica e síndrome do choque da dengue.

A transmissão da dengue raramente ocorre em temperaturas abaixo de 16° C, sendo que a mais propícia gira em torno de 30° a 32° C - por isso ele se desenvolve em áreas tropicais e subtropicais.

1.            DENGUE CLÁSSICA

A dengue clássica é a forma mais leve da doença, sendo muitas vezes confundida com a gripe. Tem início súbito e os sintomas podem durar de cinco a sete dias, apresentando sintomas como febre alta (39° a 40°C), dores de cabeça, cansaço, dor muscular e nas articulações, indisposição, enjoos, vômitos, entre outros. Uma vez que o indivíduo é picado, demora no geral de três a 15 dias para a doença se manifestar, sendo mais comum cinco a seis dias.

No caso da dengue clássica, a febre dura sete dias, mas a fraqueza e mal estar podem perdurar por mais tempo, às vezes por algumas semanas. Embora seja desagradável, a dengue clássica não é fatal. As pessoas com essa doença se recuperam completamente.

Os sintomas da dengue iniciam de uma hora para outra e duram entre 5 a 7 dias. Os principais sinais são:
  • Febre alta com início súbito (39° a 40°C)
  • Forte dor de cabeça
  • Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento dos mesmos
  • Perda do paladar e apetite
  • Manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores
  • Náuseas e vômitos
  • Tontura
  • Extremo cansaço
  • Moleza e dor no corpo
  • Muitas dores nos ossos e articulações
  • Dor abdominal (principalmente em crianças)

2.            DENGUE HEMORRÁGICA

A dengue hemorrágica acontece quando a pessoa infectada com dengue sofre alterações na coagulação sanguínea. Se a doença não for tratada com rapidez, pode levar à morte. No geral, a dengue hemorrágica é mais comum quando a pessoa está sendo infectada pela segunda ou terceira vez. Os sintomas iniciais são parecidos com os da dengue clássica, e somente após o terceiro ou quarto dia surgem hemorragias causadas pelo sangramento de pequenos vasos da pele e outros órgãos. Na dengue hemorrágica, ocorre uma queda na pressão arterial do paciente, podendo gerar tonturas e quedas.

Até o ano 2000, eram muito raros os casos de dengue hemorrágica no país. Embora muitos indivíduos tenham sido contaminados por mais de um tipo de vírus ao mesmo tempo, a frequência de dengue hemorrágica era mais baixa que o esperado. Com a chegada do vírus 3, aumentou muito o número de casos de dengue hemorrágica, com aproximadamente 6% de mortes. Desde 2005 é esperado o reaparecimento do vírus 4 no Brasil. A reintrodução do vírus 4 no Brasil pode levar a um aumento de casos de dengue hemorrágica em pessoas que já tiveram a infecção pelos vírus DEN1, DEN2 e DEN3.

Os sintomas da dengue hemorrágica são os mesmos da dengue clássica. A diferença é que a febre diminui ou cessa após o terceiro ou quarto dia da doença e surgem hemorragias em função do sangramento de pequenos vasos na pele e nos órgãos internos. Quando acaba a febre começam a surgir os sinais de alerta:
  • Dores abdominais fortes e contínuas
  • Vômitos persistentes
  • Pele pálida, fria e úmida
  • Sangramento pelo nariz, boca e gengivas
  • Manchas vermelhas na pele
  • Comportamento variando de sonolência à agitação
  • Confusão mental
  • Sede excessiva e boca seca
  • Dificuldade respiratória
  • Queda da pressão arterial.

A dengue hemorrágica, o quadro clínico se agrava rapidamente, apresentando sinais de insuficiência circulatória. A baixa circulação sanguínea pode levar a pessoa a um estado de choque. Embora a maioria dos pacientes com dengue não desenvolva choque, a presença de certos sinais alertam para esse quadro:
  • Dor abdominal persistente e muito forte
  • Mudança de temperatura do corpo e suor excessivo
  • Comportamento variando de sonolência à agitação
  • Pulso rápido e fraco
  • Palidez
  • Perda de consciência.


3.            SÍNDROME DO CHOQUE DA DENGUE

A síndrome de choque da dengue é a complicação mais séria da dengue, se caracterizando por uma grande queda ou ausência de pressão arterial, acompanhado de inquietação, palidez e perda de consciência. Uma pessoa que sofreu choque por conta da dengue pode sofrer várias complicações neurológicas e cardiorrespiratórias, além de insuficiência hepática, hemorragia digestiva e derrame pleural (água no pulmão, é o nome dado ao acúmulo anormal de líquidos na pleura, uma fina membrana que envolve o pulmão). Além disso, a síndrome de choque da dengue não tratada pode levar a óbito.

Outras possíveis complicações da dengue incluem:
  • Convulsões febris em crianças pequenas
  • Desidratação grave
  • Sangramentos.

A síndrome de choque da dengue, quando não tratada, pode levar a pessoa à morte em até 24 horas. De acordo com estatísticas do Ministério da Saúde, cerca de 5% das pessoas com dengue hemorrágica morrem.

DIAGNÓSTICO DE DENGUE

O diagnóstico de certeza é feito com o exame de sangue para dengue ou sorologia para dengue. Ele vai analisar a presença do vírus no seu sangue e leva de três a quatro dias para ficar pronto. No atendimento, outros exames serão realizados para saber se há sinais de gravidade ou se você pode manter repouso em casa.

Os exames podem incluir:

  • O Teste de coagulação pode identificar a dengue hemorrágica
  • Eletrólitos
  • Hematócrito
  • Enzimas do fígado
  • Contagem de plaquetas
  • Testes serológicos (mostram os anticorpos ao vírus da dengue)
  • Teste do torniquete: amarra-se uma borrachinha no braço para prender a circulação. Se aparecerem pontos vermelhos sobre a pele, é um sinal da manifestação hemorrágica da doença
  • Raio X do tórax para demonstrar efusões pleurais.


TRATAMENTO DE DENGUE

Não existe tratamento específico contra o vírus da dengue, é possível tratar os sintomas decorrentes da doença, ou seja, fazer um tratamento sintomático. É importante apenas tomar muito líquido para evitar a desidratação. Caso haja dores e febre, pode ser receitado algum medicamento antitérmico, como o paracetamol. Em alguns casos, é necessária internação para hidratação endovenosa e, nos casos graves, tratamento em unidade de terapia intensiva.


Não pode: Pacientes com dengue ou suspeita de dengue devem evitar medicamentos à base de ácido acetilsalicílico (aspirina) ou que contenham a substância associada. Esses medicamentos têm efeito anticoagulante e podem causar sangramentos. Outros anti-inflamatórios não hormonais (diclofenaco, ibuprofeno e piroxicam) também devem ser evitados. O uso destas medicações pode aumentar o risco de sangramentos.

ESTÁ NA HORA DE EXTERMINAR O AEDES AEGYPTI!
ELIMINE OS FOCOS DO VETOR!



Fonte: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/links-de-interesse/301-dengue/14610-curiosidades-sobre-o-aedes-aegypti
http://www.minhavida.com.br/saude/temas/dengue


PREFEITURA MUNICIPAL DE LAJEDO
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

sexta-feira, 18 de março de 2016

Parceria da Escola Ambiental e a Escola Padre Antônio Barbosa


Dia 09 de março, a equipe da Escola Ambiental levou a palestra ESCOLA AMBIENTAL NO COMBATE AO AEDES AEGYPYI para a Escola Padre Antônio Barbosa.

Participaram das palestras os estudantes do Ensino Fundamental I e II, recebendo informações como: histórico, características biológicas e comportamentais do mosquito, conheceram um pouco mais sobre os vírus Dengue, Zika e Chikungunya, transmitido pelo Aedes aegypti e assistiram algumas dicas de como eliminar os focos desse mosquito em suas residências.






Os mosquitos apareceram no nosso planeta há mais de cem milhões de anos e estão inventariadas cerca de 3500 espécies. Mas, só 200 espécies picam os humanos. Estas espécies estão presentes em todos os continentes, com exceção da Antártica, e têm um papel importante em muitos ecossistemas.

Muitas espécies de lagartos, aranhas, salamandras, insetos e rãs perderiam uma fonte alimentar essencial, caso os mosquitos desaparecessem. Também, centenas de peixes teriam de modificar a sua alimentação, se as larvas dos mosquitos faltassem. As larvas de mosquitos representam uma parte importante da biomassa dos ecossistemas aquáticos, elas são decompositores naturais, assim como bactérias ,fungos etc

Causas da proliferação dos mosquitos

1. Consequência da diminuição das espécies predadoras
O desaparecimento de diferentes espécies, talvez causasse uma superpopulação de mosquitos, moscas e outros insetos que infernizam nossa vida, mas que fazem parte do cardápio das lagartixas.

2. O aquecimento global 

O aquecimento global aumentará o número de casos de doenças como a dengue e a malária na América Latina, advertiram, em Buenos Aires, especialistas sobre o impacto das mudanças climáticas na região

"Não se pode descuidar do aspecto da saúde quando se fala em mudança climática. Há uma diferença importante na dispersão de doenças como a dengue ou a malária na América do Sul", indicou o cientista argentino, Osvaldo Canziani.

O cientista responsabilizou os governos da região pela falta de visão política e de planejamento para a prevenção, a adaptação e a redução do impacto das ocorrências climáticas. "Não é o clima o elemento que gera os problemas, e sim o aumento da população, os problemas ambientais, os aspectos sociais e econômicos", acrescentou.

3. A capacidade de resistência dos ovos
A capacidade de resistência dos ovos de Aedes aegypti à dessecação é um sério obstáculo para sua erradicação. Esta condição permite que os ovos sejam transportados a grandes distâncias, em recipientes secos, tornando-se assim o principal meio de dispersão do inseto (dispersão passiva).





4. Processo de urbanização caótico
Urbanização é o crescimento da população no meio urbano, ou seja, nas cidades em relação ao crescimento no meio rural. O processo de urbanização brasileiro permite identificar quatro fases:
  • a urbanização suportável (até meados dos anos 60, quando as cidades ainda ofereciam qualidade de vida e havia ampla oferta de postos de trabalho no setor industrial, na agricultura e no comércio);
  • a urbanização problemática nos anos 60-70, quando se intensifica o processo migratório, ocorrendo a inflexão rural-urbano;
  • a urbanização caótica, no período 70-80, quando se constata uma queda brutal na qualidade de vida da população que vivia nas médias e grandes cidades;
  • nos anos 90, a urbanização explosiva, que resulta da ausência de políticas urbanas consistentes e duradouras nas fases anteriores, tornando mais difícil a reversão do quadro caótico da fase anterior.

Esse processo gera uma falta de planejamento e infraestrutura adequada em termos de serviços (energia, água, saneamento, hospitais);

5. A circulação de pessoas.
Quanto mais gente com o vírus circula, maior a probabilidade de você ter contato com vetores. Com a grande circulação de pessoas vindas de locais diferentes, alguns cuidados com a saúde são necessários para prevenir possíveis transmissão de doenças.

Em países desenvolvidos, é comum a realização de uma consulta médica antes de viagens, para aconselhamentos de prevenção de doenças segundo suas geografias e ou vacinação. Mas em locais como África, Ásia e em alguns países do Caribe não existe essa prática, e em alguns, há um controle efetivo de doenças (especialmente as transmissíveis e ou até de vacinação) o que pode aumentar as chances de transmissão de enfermidades nos locais de visitação. 

“O ideal é que se tenha um bom esquema de vigilância epidemiológica em qualquer país palco de eventos de massa, [...]. É importante lembrar aos viajantes, especialmente do próprio Brasil, quanto à importância de estarem vacinados, principalmente se as viagens forem frequentes”, alerta a Sylvia Lemos Hinrichsen, médica infectologista, coordenadora do Comitê de Medicina dos Viajantes da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI).

6. Crise da falta da água
É inquestionável que a crise hídrica e a seca apresentam uma situação de risco maior para a proliferação do Aedes aegypt, na medida em que as pessoas tendem a armazenar água sem proteção. Não há problema em fazer armazenamento, mas qualquer processo de armazenamento de água deve respeitar a proteção, pois a água limpa parada, mesmo que seja de chuva, de bica, vai aumentar o risco de proliferação das larvas. O acondicionamento correto, tapar esses recipientes, é fundamental.




7. Falta de conscientização sobre o risco das doenças
A população deve se conscientizar e evitar jogar lixo nas ruas e em terrenos baldios, precisa ficar alerta no aumento da proliferação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor de doenças graves como Dengue, a Febre amarela, a Zika e a Chikungunya podendo procriar em qualquer recipiente jogado em via pública que retenha água, como tampas de garrafas , sacolas plásticas, entre outros.


Toda a sociedade tem culpa. As pessoas colocam culpa no governo e jogam lata de cerveja pela janela, que pode se tornar um criadouro de Aedes. Você tem uma coleta regular do lixo na cidade, mas atira o lixo pelo muro no terreno baldio. A gente tem que colocar na cabeça que este é um problema coletivo.


Texto e imagens: Equipe Escola Ambiental

PREFEITURA MUNICIPAL DE LAJEDO
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

quarta-feira, 16 de março de 2016

ESCOLA AMBIENTAL RECEBE SEBRAE




A ESCOLA AMBIENTAL DE LAJEDO recebeu no dia 15/03/2016, o consultor do SEBRAE Márcio Waked. Lajedo está entre os finalistas estaduais do IX Prêmio Prefeito Empreendedor 2016. Concorrendo com dois projetos em meio a 26 selecionados e 22 cidades no Estado, a visita obrigatória serve para atestar a veracidade das informações do Formulário Eletrônico de Inscrição avaliado de dezembro a fevereiro. 



 A Secretaria de Planejamento, contactou a ESCOLA AMBIENTAL dezembro de 2015, para reunir material comprobatório das atividades realizadas para inscrição de projeto junto ao IX Prêmio SEBRAE 

Lajedo está com 2 projetos habilitados: Inclusão Produtiva com Segurança Sanitária - CEALA e também Inovação e Sustentabilidade do CMEA - Centro Municipal de Educação Ambiental e/ou Escola Ambiental.

A edição 2016 concede o prêmio a prefeitos municipais de todo o Brasil, e serão premiados gestores que implantaram projetos com resultados comprovados de estímulo aos pequenos negócios e ao desenvolvimento econômico e social do município. 


A visita foi acompanhada pelos secretários envolvidos nos dois projetos: secretário de desenvolvimento econômico Cícero Júnior, de Agricultura com Moacir Vital, secretário de planejamento com William Galdino e a gestora da Escola Ambiental Andréa Félix. Todo este trabalho resultou da idealização e projeto da Agente de Desenvolvimento do município, Juliana Aquino.

“Observo a riqueza nos detalhes e o brilho no olhar", afirmou Márcio Waked, sobre o CMEA.

De acordo com o edital, a premiação estadual será realizada em abril, e a premiação nacional em maio.

Imagens: Larissa Cordeiro
Texto complementar: https://www.facebook.com/PrefeituradeLajedo/?fref=ts

PREFEITURA MUNICIPAL DE LAJEDO - PE
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

sexta-feira, 11 de março de 2016

Escola Ambiental no combate ao Aedes aegypti na cidade de Cachoeirinha


As chuvas e altas temperaturas do verão são condições ideias para que o mosquito Aedes Aegypti possa se reproduzir, culminando na proliferação de diversas doenças provocadas pelo inseto.

A equipe da Escola Ambiental iniciando suas atividades de 2016 realizará um ciclo de palestras com o intuito de combater o mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya.

A abertura do ciclo de palestra foi realizada na Escola Rita Espindola, na cidade de Cachoeirinha. Durante a apresentação da palestra com a temática: ESCOLA AMBIENTAL NO COMBATE AO AEDES AEGYPTI, os alunos do 6º ano ao 8º ano do Ensino Fundamental tiveram acesso a informações como: histórico; características biológicas e comportamentais do mosquito; conheceram um pouco mais sobre os vírus transmitido pelo Aedes aegypti e receberam dicas de como combater esse mosquito em suas residências.








Histórico do Aedes aegypti


O Aedes aegypti é originário do Egito. A dispersão pelo mundo ocorreu da África: primeiro da costa leste do continente para as Américas, depois da costa oeste para a Ásia. O Aedes aegypti é uma espécie tropical e subtropical, que desde o século XVI, período das Grandes Navegações, é encontrado em todo mundo.


No início do século XX, o mosquito já era um problema, mas não por conta da dengue, na época, a principal preocupação era a transmissão da febre amarela. Em 1955, o Brasil erradicou o Aedes aegypti como resultado de medidas para controle da febre amarela. No final da década de 1960, o relaxamento das medidas adotadas levou à reintrodução do vetor em território nacional. Hoje, o mosquito é encontrado em todos os Estados brasileiros.

Ciclo de vida do mosquito Aedes aegypti

O acasalamento do Aedes aegypti se dá dentro ou ao redor das habitações, geralmente nos primeiros dias depois que o mosquito chega à fase adulta. É preciso somente uma cópula para a reprodução ser concretizada. Após a cópula, as fêmeas precisam realizar a hematofogia (alimentação com sangue) importante para o desenvolvimento completo dos ovos e sua maturação nos ovários. Normalmente, as fêmeas do Aedes aegypti encontram-se aptas para a postura de ovos três dias após a ingestão de sangue, passando então a procurar local para desovar.

A desova acontece, preferencialmente, em criadouros com água limpa e parada. Os ovos são depositados nas paredes do criadouro, bem próximo à superfície da água, porém não diretamente sobre o líquido. Daí a importância de lavar, com escova ou palha de aço, as paredes dos recipientes que não podem ser eliminados, onde o ovo pode permanecer grudado.

Os ovos são distribuídos por diversos criadouros, estratégia que garante a dispersão e preservação da espécie. Inicialmente, os ovos possuem cor branca e, com o passar do tempo, escurecem devido ao contato com o oxigênio. O ovo do Aedes aegypti mede aproximadamente 0,4 mm de comprimento e é difícil de ser observado.

Os mosquitos se desenvolvem através de metamorfose completa, e o ciclo de vida do Aedes aegypti compreende quatro fases: ovo, larva (quatro estágios larvários, a fase larvária é o período de alimentação e crescimento), pupa e adulto. As larvas passam a maior parte do tempo alimentando-se principalmente de material orgânico acumulado nas paredes e fundo dos depósitos
A fecundação se dá durante a postura e o desenvolvimento do embrião se completa em 48 horas, em condições favoráveis de umidade e temperatura.

Os ovos adquirem resistência ao ressecamento muito rapidamente, em apenas 15h após a postura. A partir de então, podem resistir a longos períodos de dessecação – até 450 dias, segundo estudos. Esta resistência é uma grande vantagem para o mosquito, pois permite que os ovos sobrevivam por muitos meses em ambientes secos, até que o próximo período chuvoso e quente propicie a eclosão.

Características do Aedes aegypti

Aedes aegypti, mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya vivem mais sob calor e umidade, estão bem adaptados ao ambiente domiciliar, não produz zumbido e a picada geralmente não é sentida.

O mosquito Aedes aegypti mede menos de um centímetro, tem aparência inofensiva, cor café ou preta e listras brancas no corpo e nas pernas. Costuma picar, transmitindo a dengue, nas primeiras horas da manhã e nas últimas da tarde, evitando o sol forte, mas, mesmo nas horas quentes, ele pode atacar à sombra, dentro ou fora de casa. O indivíduo não percebe a picada, pois não dói e nem coça no momento.

A domesticidade do Aedes aegypti é ressaltada pelo fato de que ambos os sexos são encontrados em proporções semelhantes dentro das casas (endofilia). Esse mosquito quando em repouso é encontrado nas habitações, nos quartos de dormir, nos banheiros e na cozinha e, só ocasionalmente, no peridomicílio (área existente ao redor de uma residências). As superfícies preferidas para o repouso são as paredes, mobília, peças de roupas penduradas e mosquiteiros.

Os adultos de Aedes aegypti podem permanecer vivos em laboratório durante meses, mas, na natureza, vivem em média de 30 a 35 dias.

Os mosquitos fêmea sugam sangue para produzir ovos. Se o mosquito transmissor da dengue estiver infectivo, poderá transmitir o vírus da dengue neste processo. Em geral, mosquitos sugam uma só pessoa a cada lote de ovos que produzem. O mosquito da dengue tem uma peculiaridade que se chama “discordância gonotrófica”, que significa que é capaz de picar mais de uma pessoa para um mesmo lote de ovos que produz.


Fonte: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/links-de-interesse/301-dengue/14610-curiosidades-sobre-o-aedes-aegypti
http://www.fiocruz.br/ioc/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=336&sid=32



PREFEITURA MUNICIPAL DE LAJEDO
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

terça-feira, 8 de março de 2016

Feliz Dia Internacional da Mulher


Neste dia, 8 de março de 2016, a Escola Ambiental, vem parabenizar todas as mulheres.

És símbolo de sensibilidade, não por acaso és comparada a uma flor e és fonte de inspiração de inúmeros poetas. És tu MULHER! Mas, o significado do termo MULHER vai além, quiçá um olhar fenomenológico seja incapaz de definir-te, porém a tua história nos permite tecer alguns adjetivos que nos aproximam de uma definição. És sinônimo de luta e perseverança, de amor e de esperança, conseguistes conquistas com imponência, determinação e competência. Sempre com coragem, carinho e respeito. Carregando no fundo do peito a luz que faz o sol brilhar. És tu MULHER.

Autor: Júlio César Félix


HISTÓRICO DAS LUTAS FEMINISTAS PELO MUNDO

Alguns relatos históricos indicam que o Dia Internacional da Mulher teria surgido a partir de um incêndio em uma fábrica têxtil na Triangle Shirtwaist Company, em Nova York em 1911. Localizada nos três últimos andares de um prédio, a fábrica tinha chão e divisórias de madeira e muitos retalhos espalhados, formando um ambiente propício para que as chamas se espalhassem. A maioria dos cerca de 600 trabalhadores conseguiram escapar, descendo pelas escadas ou pelo elevador. Outros 146, porém, morreram. Entre eles, 125 mulheres, que foram queimadas vivas ou se jogaram das janelas. Mais de 100 mil pessoas participaram do funeral coletivo. Sem dúvida, o incidente ocorrido em 25 de março daquele ano marcou a trajetória das lutas feministas ao longo do século 20, mas os eventos que levaram à criação da data são bem anteriores a este acontecimento.
O incêndio da fábrica Triangle Shirtwaist Company, em 25 de março de 1911
Desde o final do século 19, organizações femininas oriundas de movimentos operários protestavam em vários países da Europa e nos Estados Unidos. As jornadas de trabalho de aproximadamente 15 horas diárias e os salários medíocres introduzidos pela Revolução Industrial levaram as mulheres a greves para reivindicar melhores condições de trabalho e o fim do trabalho infantil, comum nas fábricas durante o período.

Em 1910, durante a II Conferência Internacional de Mulheres Socialistas na Dinamarca, uma resolução para a criação de uma data anual para a celebração dos direitos da mulher foi aprovada por mais de cem representantes de 17 países. O objetivo era honrar as lutas femininas e, assim, obter suporte para instituir o sufrágio universal em diversas nações.

Com a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) eclodiram ainda mais protestos em todo o mundo. Mas foi em 8 de março de 1917 (23 de fevereiro no calendário Juliano, adotado pela Rússia até então), quando aproximadamente 90 mil operárias manifestaram-se contra o Czar Nicolau II, as más condições de trabalho, a fome e a participação russa na guerra - em um protesto conhecido como "Pão e Paz" - que a data consagrou-se, embora tenha sido oficializada como Dia Internacional da Mulher, apenas em 1921.

Somente mais de 20 anos depois, em 1945, a Organização das Nações Unidas (ONU) assinou o primeiro acordo internacional que afirmava princípios de igualdade entre homens e mulheres. Nos anos 1960, o movimento feminista ganhou corpo, em 1975 comemorou-se oficialmente o Ano Internacional da Mulher e em 1977 o "8 de março" foi reconhecido oficialmente pelas Nações Unidas.

A CONQUISTA DOS DIREITOS DA MULHER NO BRASIL

No Brasil, as movimentações em prol dos direitos da mulher surgiram em meio aos grupos anarquistas do início do século 20, que buscavam, assim como nos demais países, melhores condições de trabalho e qualidade de vida. A luta feminina ganhou força com o movimento das sufragistas, nas décadas de 1920 e 30, que conseguiram o direito ao voto em 1932, na Constituição promulgada por Getúlio Vargas. A partir dos anos 1970 emergiram no país organizações que passaram a incluir na pauta das discussões a igualdade entre os gêneros, a sexualidade e a saúde da mulher. Em 1982, o feminismo passou a manter um diálogo importante com o Estado, com a criação do Conselho Estadual da Condição Feminina em São Paulo, e em 1985, com o aparecimento da primeira Delegacia Especializada da Mulher.




Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/historia/pratica-pedagogica/8-marco-dia-internacional-mulher-genero-feminismo-537057.shtml
http://www2.uol.com.br/historiaviva/reportagens/conquistas_na_luta_e_no_luto_imprimir.html


PREFEITURA MUNICIPAL DE LAJEDO
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

quarta-feira, 2 de março de 2016

ANO LETIVO 2016

O CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL - LAJEDO /PE


O retorno à rotina escolar merece atenção tanto no planejamento e organização das diretrizes quanto na produção das atividades para os alunos. Propicie um retorno agradável aos que voltam das férias e uma boa recepção aos que iniciam a vida escolar


ESTAMOS NUM PERÍODO DE REAVALIARMOS AS ATIVIDADES VIVENCIADAS EM 2015, E COM ISSO, PLANEJANDO AS AÇÕES PARA O ANO EM CURSO.

ATUAREMOS COM CAPACITAÇÕES PARA 05 - MUNICÍPIOS NO MÊS DE MARÇO

JÁ APÓS A SEMANA SANTA ABRIREMOS PARA O PÚBLICO EM GERAL.


TODOS QUE FAZEM A EDUCAÇÃO OU ESTÃO INSERIDOS DE ALGUMA MANEIRA,

SINTAM-SE ABRAÇADOS 

QUE DEUS NOS ABENÇOE SEMPRE!
   

texto: CMEA( Centro Municipal de Educação Ambiental)
Imagens: Prefeitura Municipal de Lajedo
PREFEITURA MUNICIPAL DE LAJEDO
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO





Postagem em destaque

CALENDÁRIO ESCOLAR ESTADUAL 2020

INSTRUÇÕES NORMATIVAS SEE 08/2017 LINK:http://www.educacao.pe.gov.br/portal/upload/galeria/19310/INSTRU%c3%87%c3%83O%20NORMATIVA%20SEE%...