sábado, 31 de maio de 2014

ORADORA HOMENAGEIA O POVO LAJEDENSE


 Após 24 ANOS  a querida e competente professora Paixão Félix Vieira é novamente escolhida por unanimidade pelo poder público para ser oradora e homenageada no dia 19 de maio "Aniversário de Emancipação Política de Lajedo".



 19 de maio de 1990.



 Seu discurso emocionante é pautado ao mérito dos ilustres filhos lajedenses que edificaram nossa cidade. Com simplicidade e altivez sua homenagem foi direcionada ao povo probo de olhar sobranceiro de almas simples e fibras de heróis, parafraseando (Antonio de Oliveira - Hino de Lajedo).






LEIA NA INTEGRA 

Excelentíssimo Sr. Dr. Rossine Blesmany Cordeiro - Digníssimo Prefeito deste Município;
Senhora Marconeide Cordeiro - Digníssima Primeira Dama;
Excelentíssimo Sr. José Ramos Vilela - Digníssimo vice-prefeito
Ilmª Srª Vânia Cosme: Presidente da Câmara Municipal de Lajedo e demais vereadores.
Demais autoridades presentes, minhas senhoras e meus senhores 

            De início, sejam as minhas palavras uma expressão sincera de agradecimento por ter merecido do Poder Executivo, para proferir o que significa esta data e este acontecimento a todos nós. Falar ao meu povo, gente e autoridades, a respeito deste nosso Município, terra e céu é realmente algo que nos leva a sentir o privilégio que ora desfrutamos. Ante isto e por isto, meu franco e sincero agradecimento.
            24 de dezembro de 1948. 19 de Maio de 2014. 65 anos são decorridos.
            Reunimo-nos mais uma vez para comemorar festivamente mais um aniversário de Emancipação Política de nossa estimada terra e de nosso querido povo, politicamente falando, é justo e lógico que assim o façamos. Lajedo dentro de sua história permaneces, estais presente, marcas presença, estais junto. És luz. És calor e vida para os teus filhos e os que aqui chegam. Os amigos lajedenses, pode-se contar com eles. Eles são uma presença. São aragem nos momentos de tensão. São luz nos momentos de escuridão. São pão nos momentos de fraqueza e são segurança nos momentos de desânimo.
            Ajuda-nos Senhor a prosseguir na jornada de uma Lajedo melhor.  Que sejamos autênticos  e unidos para realizações múltiplas e contínuas em prol de uma Lajedo, bem feliz e consequentemente um mundo melhor, onde todos possam sentir-se comprometidos, desempenhando um trabalho de qualidade, articulado com a cultura de nosso povo, procurando oferecer  melhores condições  para formação de cidadão capaz de construir  com consciência e responsabilidade a sociedade  a  qual  está inserido, redirecionando para as classes desprovidas,  desenvolvendo uma educação que  atenda às suas necessidades. Ajuda-nos realmente a conseguirmos incutir e cultivar os ideais do trabalho, amor e fraternidade, para que possamos apesar dos obstáculos, encontrar pessoas com disposições e riquezas interiores, capazes de nos incentivar nas realizações dos nossos ideais.
            É tempo de soltar a voz; de se entregar a uma experiência profunda; de enfrentar como um artesão a dureza da vida, a capacidade do cotidiano de refazer o processo educacional vinculando o saber do povo ao saber sistematizado, voltado para as classes paupérrimas, oferecendo condições para que o lajedenses sintam-se capazes de construir a sociedade e de intervir na mesma.
            É tempo de denunciar o autoritarismo e de anunciar um novo projeto político capaz de submeter a lógica capitalista de democratizar as relações de trabalho e de produção, de reinventar coletivamente as práticas sociais institucionais.
          É tempo de construir o novo no velho, de resgatar dentro das circunstâncias, a condução do processo histórico da construção do saber, de relembrar e reescrever, a história, as memórias do nosso povo, do nosso trabalho.
            Vamos converter em ações as palavras, pois, nesta hora o coração me anima com certos movimentos extraordinários que refletem a melhor das previsões. Previsões estas as quais espero encontrar receptividade na consciência de todos lajedenses.
            A ocasião é solene, sim, mas justamente por isso, ela abre caminho a alguma coisa menos vulgar do que uma felicitação.
            Sei que os governantes visam somar seus esforços aos demais auxiliares, colocando à disposição dos necessitados os subsídios indispensáveis para viverem decentemente. Que a distância de governantes e governados não seja tão extensa, e que em conseqüência de tal separação, o povo faça adesão ao crime e a corrupção.
     Lajedo é passado, é presente e é futuro, porém sua história de glórias, derrotas, pioneirismo e gestos de independência, não podem apenas servir de garantia no tempo que virá.
          Todos sabem que os Prefeitos que assumiram os destinos deste Município, foram e são homens trabalhadores.  Pouco ou muito, cada um deixou parcelas de serviços prestados a nossa querida Lajedo.
           O desenvolvimento de uma terra e de um povo, digamos com segurança é uma espécie de marcha forçada, sempre para frente, e é assim que vemos Lajedo sempre crescendo pelo esforço, dedicação e, acima de tudo, amor, amor a terra para os que aqui nasceram e hospedeira carinhosa para aqueles que aqui plantaram a sua tenda de trabalho e a transformaram em berço para os seus filhos.
            Por tudo isso, a nossa festa toma ao nosso ver, uma característica diferente sem que se concebam aquelas já referidas, seja a de rendermos agora o nosso culto cívico aos nossos vultos, aqueles que lutaram e até sofreram, sem cessar, até que nos legaram essa linda e querida Lajedo de hoje.
            Penso não bastarem estas ligeiras referências ao passado, julgo dever convidar os lajedenses agora, para vermos o presente na orientada e produtora administração atual. Não façamos isto sem nos lembrarmos daquelas outras administrações que tanto fizeram pelo nosso Município. Forçoso é reconhecê-lo, mas nosso agradecimento é algo superior que nos impõe.
            Deus nos presenteou, pois sendo altinenses, dando-nos o destino de vir para Lajedo, no final da década de 50. Chegamos designados pela Fazenda Estadual, pois meu pai foi transferido de Cupira para servir, como Guarda Fiscal aqui, e onde ficaremos até nossos últimos dias de vida, se assim Deus nos permitir.
            Aqui residente, vimos uma cidade vibrante, onde o povo se envolvia muito com Política; Educação; Cultura; Esportes; Comércio; Agricultura; Profissionais; Religião e outras atividades marcantes, vindo assim a contribuir com o crescimento de nosso Município.

            O Prefeito naquela época era o Sr. José Firmino Burgos. O delegado era Sargento. O Juiz Dr. José Agripino.  O Pároco Pe. Antônio Barbosa, o Tabelião José Ferreira dos Prazeres, Exator Federal Arlindo Ferreira da Silva. Os fiscais municipais: João Guarda e Antônio Galdino (Agentes arrecadadores); o Fiscal Estadual: Antônio Leão. O Fiscal Geral do Município: Abdon Nonato de Oliveira.  O Fiscal Florestal: Francisco Justino de Medeiros, o popular Chico Sebo; O Coletor Estadual: Seu Wilson Sampaio, Mestre de Obras:  João Antônio de Medeiros (João Bilela). Fiscal de Trânsito: Simeão Lima. Policiais Militares – Sargento Miguel e Sargento Eury.   Agente dos Correios e Telégrafos: Dona Silú. Oficial do Cartório Civil:  Adalberto Vieira.

            Na Educação, como professores, podemos destacar os nomes de Vicentina Siqueira, Dona Deda, Socorro Santos, Marlene Cosme, Telma Feijó, Hosana Lucas, Flaudizia, Marleide de Chicó, Socorro Ferreira, Gilvanize Holanda no ensino público, Seu Tó e Dona Nega, Raquel e Benigna no ensino particular.
            Também destacamos como educadores gestores as figuras de Dona Zélia Moura, Dr. José Alberto Salgado, Irene de Brito Lacerda, Décio Amaral, Irene Leão e Armando Augusto.
            
              Na Cultura tivemos vários destaques:

- Poetas e escritores: Antônio de Oliveira, José Paulo Barbosa e Antônio Vilaça  
-Colecionadores: Valdir Cordeiro e Adolfina Pacheco
-Cantores: Selma, Algodão e Dona Neide;
-Conjuntos Musicais: Os Bárbaros da Bossa, Flor da Terra e Banda de Negro Sanfoneiro
-Carro de Propaganda Móvel; Lula Vilaça
- Cine São Luiz – Manoel Vilaça
-Circo de Hilda- O Barcelona
-Seresteiros: Washington Medeiros, Carlos Barros, Abiatar Guaraná, Tungueira, Glauber Leite
-Teatros: Teatro Amadorista de Lajedo – entre outras peças como “Doença no Vazio”, “Ressurreição de Lázaro”; “O Auto da Compadecida”, com destaques Antonio de Oliveira, Gilson Peixoto, Valdeci Dornelas. O Teatro Estudantil de Lajedo, sob a Direção de Souzinha encenou várias peças, dentre elas “A Paixão de Cristo” e o Teatro Pau de Arara sob a direção de Enilda Cordeiro encenou “Se essa rua fosse minha”.
-Locutores: Adalberto Pereira Costa, Severino Pereira Costa (Nido) e Bento Pereira Costa,
-Vaquejadas de Chico Duda, Manoel Marcolino e Abraão Veloso.
- Pessoas Folclóricas: Mané Pinico, Contente, Maria Cafofa e Zé Mochila.
-Clubes – Diversional de Lajedo, doado por Simpliciano Cardoso, divertiu o povo, com Carnavais Matinês, Bingos dançantes e Bailes com Orquestras Mexicanas, Como Alma Latina, Los Românticos, Del Caribe e Los Panches.
Comercial Sport Clube – serviu seus associados com Bailes Carnavalescos e Juninos, com Orquestras famosa como Feveres, Renato e Seus Blue Caps, e Shows inesquecíveis com cantores consagrados mundialmente como Nelson Gonçalves e Altemar Dutra, além do Show da Cidade, que envolvia toda população, com a disputa dos Bairros e Educandários.
-Centro Esportivo Lajedense: associação desportiva que representou muito bem Lajedo em vários recantos de Pernambuco e estados vizinhos.  Sua torcida enchia o Estádio nos jogos locais e nas cidades vizinhas. Seus jogadores eram comprometidos com o amadorismo e procuravam dar o suor. e até mesmo, o sangue por uma vitória. O Centro sempre foi respeitado onde atuava.

                        Entre os desportistas destacam-se:

-Azarias Alves, Obdionato Cupertino, José Aurélio, Adalberto Alexandre, Nelson Olímpio
 Dr. José Alberto, Carlito, João Virgulino e Bil (árbitro)
            Casa de jogos e diversões:
-Banca "A Favorita" de José Vital, Banca de seu Augusto e sinucas de Mariano e José Pereira
           
No comércio e serviços vimos:

-Farmácias de Adenor Torres, Ismael Rocha e Juracy Cassiano.
-Padarias de João Saturno, Severino Lacerda e José Fausto.
-Lojas de tecidos de Clementino Lima, Elísio Ferreira e Chico Doido.
-Miudezas: Zé Piaba, Luiz Sátiro, Zé Sátiro e Zezinho Alfredo.
-Bares de Chico Viana, Vaca Veia, Waldemar Tenório e Seu Carlos.
-Restaurantes de Dona Luiza, Dona Zefinha e Dona Joaninha Saraiva e Waldomiro.
-Cozinheira de festas e casamentos: Tereza de Cassimiro.
-Postos de Combustíveis: Seu Bebé, João Rodrigues e João Jordão.
-Comerciantes de Estivas: José Alexandrino, José Cabeleira, Jerônimo, Zé Nicolau.
-Material de Construção – Chico Brás e José Izídio.
-Armazéns de Estivas de Luiz Falcão, Pedro Felipe e Manoel Tavares.
-Missangueiros:  Seu Pedro; Manoel das cordas e Manoel Izídio.
-Enchimentos de bebidas de Chico Rosa, José Joaquim, José Jordão e Julio Felipe.
-Bodegas de Manoel Martins, Abílio Ribeiro, João Inácio, Seu Benones, Renato Lopes e Seu Chico Vicente.
-Machantes: Antônio Viana, Manoelzinho, João Duda e Antonio Chulé.

Profissionais:

-Bancários: Valdir Cordeiro, Antônio Cassimiro e Almir Melo.
-Pedreiros: José Rafael, Manoel Leite, Zé Menino e Seu Zacarias
-Marceneiros:  Seu Chicó, Joaquim Laurindo, Joaquim Timóteo e José Abílio
-Sapateiros: Antônio Praieiro, Antônio de Firme, Bastinho, Manoel Praieiro, Euclides Paulo e Joel Sapateiro.
-Costureiras: Lourdes Caju, Maria de Zé Menino e Alcina Jordão
-Bordadeiras: Dona Alcina, Jandira, Nidinha e Maria Umbelina
-Bolos de festas: Dequinha e Dona Josefa Pinto
-Alfaiates: José Cordeiro, José Bento, Zorobabel e Antônio Alfaiate
-Barbeiros: Manoel Sabiá, Antonio Barbeiro, Seu Josué e João Sinhô.
-Oficinas: Manoel Vilaça, Antônio Adamastor, Seu Cornélio, Zé Deca, João Vieira e de Zezé Fernandes.
-Fotografo: Deda da foto
-Ferreiro – Hermenegildo Brás (Seu Minel)
-Ferro velho de Olímpio da geladeira
-Serrarias: Seu Jonas, Seu Zuzu, seu Zacarias e seu Sé.
-Bicicletaria de aluguel: Veinho, Claumir e Otacílio Teotônio
-Carros de Aluguel - Joaquim Vilaça, Basto Bigodão e Seu Lelé com o Caminhão
-Agricultores – Ageu Vieira, Jacinto Lucas, Julio Paulo e Manoel Dornelas
-Casas de Farinha: Chico Ramos, Antônio Jurema e Arlindo Viana.
-Pecuaristas: José Cosme, Arlindo Cosme, Clóvis Lucas e Manoel Rosendo
-Ourives: José Carlos e José do Ouro.

                        SAÚDE: Dr. Antônio Dourado, Dr.Francisco e Dr. Justino, Dona Luizinha, Dona Iracema, Dona Natalícia, Dona Juvina e Antônia Amaral.

                        RELIGIÃO
Católica – Com os catequistas Dona Lola, Seu Lulu, Luiz do Padre e Terezinha Martins
Presbiteriana; Família França.
- Principais Festas Religiosas: Festa de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Festa de Santo Antonio, Festa de São Sebastião, Festa da Imaculada Conceição no Salobro, Festa de São José em Olho D’água dos Pombos Festa de Santa Luzia em Santa Luzia.

Portanto vivo muito feliz em Lajedo, alcancei todos sonhos, Passei minha infância estudei, me formei e conheci um puro lajedense Edvaldo, num baile do Diversional iniciamos o namoro que durou muito tempo. Casamos na Igreja de Imaculada celebrante Pe. Emerson com recepção no Comercial. Tivemos dois filhos:  Maria da Paixão e Edvaldo. Que Deus nos dê paz e Nos abençoe.
            Entre nossos irmãos, neste momento, lembro-me de Marcos, uma pessoa humilde, alegre. Atuou como mecânico de Bicicletas, Garçom do Comercial, Professor, ativista político, se envolvia a todo momento em política e futebol. Torcia pelo Náutico. Porém Deus o levou muito cedo.
Mas, acredito que hoje esteja muito Feliz, vendo lá de cima sua filha primogênita Marconeide, alcançar o porte de Primeira Dama do Município de Lajedo.
            Quero aproveitar a oportunidade para parabenizar o nosso Prefeito Rossine Blesmany e seu secretariado, pelo excelente trabalho que vem desenvolvendo no Município, apesar das dificuldades encontradas, pois sabemos que o início de uma gestão de mudanças é muito complicado, principalmente quando se pretende mudar para melhor.

            Convido a todos os Lajedenses que digam em uma só voz:

 - Deus, Tu que és bom; Tu que és perfeito,
 - Já que nos destes este nosso Município, proteja-o e cuida dele, inspirando atitudes de Honestidade e Justiça, há aqueles que atualmente o dirigem e que posterior nos venham mandados de Ti.
 - Assim seja!
             

Parabéns Lajedo!
 Parabéns filhos desta terra.




MARIA ANDRADE FÉLIX VIEIRA  ( PROFESSORA PAIXÃO )
ORADORA OFICIAL DO DIA 19 DE MAIO DE 2014



Texto de Introdução: Equipe Escola Ambiental
Imagens atuais: Jacilda - "VIDEO FOTO PJ"
Imagens Antigas do arquivo pessoal: Família Félix Vieira
Discurso: Profª Paixão


Secretaria Municipal de Educação
Prefeitura Municipal de Lajedo - PE

quinta-feira, 29 de maio de 2014

ESCOLA AMBIENTAL AGORA É PONTO DE COLETA EM LAJEDO (GARRAFAS PET, PILHAS E BATERIAS DE CELULAR)


Reciclar significa transformar objetos e materiais usados em novos produtos para o consumo. Esta necessidade foi despertada pelos seres humanos, a partir do momento em que se verificou os benefícios que este procedimento trás para o planeta Terra.

O processo de reciclagem, além de preservar o meio ambiente também gera riquezas, pois o crescimento econômico deve estar aliado à preservação do meio ambiente. Esta reciclagem contribui para a diminuição significativa da poluição do solo, da água e do ar.

Cada vez mais as cidades têm encontrado dificuldades em conseguir locais para instalar depósitos de lixo. Portanto, a reciclagem apresenta-se como uma solução viável economicamente, além de ser ambientalmente correta.


A ESCOLA AMBIENTAL em mais uma de suas ações de proteção ao meio ambiente irá recolher GARRAFAS PET, PILHAS E BATERIAS e dá o devido destino a esses materiais.

RECICLAGEM DE PET


A introdução da embalagem de PET (polietileno tereftalato) no Brasil ocorreu em 1988, além de trazer as indiscutíveis vantagens ao consumidor, trouxe também o desafio de sua reciclagem.

O polímero de PET é um poliéster, um dos plásticos mais reciclados em todo o mundo devido a sua extensa gama de aplicações: fibras têxteis, tapetes, carpetes, não-tecidos, embalagens, filmes, fitas, cordas, compostos, etc.

A embalagem de PET quando reciclada tem inúmeras vantagens sobre outras embalagens do ponto vista da energia consumida, consumo de água, impacto ambiental, benefícios sociais, entre outros.

A embalagem PET é 100% reciclável.

A reciclagem do PET tem muitos benefícios, como:

·     Redução do volume de lixo coletado, que é removido para aterros sanitários, proporcionando melhorias sensíveis no processo de decomposição da matéria orgânica (o plástico impermeabiliza as camadas em decomposição, prejudicando a circulação de gases e líquidos);
·      Economia de energia elétrica e petróleo, pois a maioria dos plásticos é derivada do petróleo, e um quilo de plástico equivale a um litro de petróleo em energia;
·      Geração de empregos (catadores, sucateiros, operários, etc.)
·    Menor preço para o consumidor dos artefatos produzidos com plástico reciclado aproximadamente 30% mais baratos do que os mesmos produtos fabricados com matéria-prima virgem.

PRODUTOS RECICLADOS


 


16% mais leve que o anterior, o uniforme da Seleção Brasileira tem peças de poliéster reciclado de 18 garrafas plásticas, a camisa completa 4% da composição com de algodão orgânico. O short é feito 100% do material. A camiseta utilizada por baixo do uniforme também é feita com 96% de poliéster reciclado, uma média de 5 garrafas PET por peça. As meias usam 78%.


RECICLAGEM DE PILHAS E BATERIAS


Baterias e pilhas têm elementos químicos pesados, como níquel, cádmio, chumbo, zinco e mercúrio, quando descartadas em lixões ou aterros sanitários, liberam componentes tóxicos que contaminam o solo, os cursos d'água e os lençóis freáticos, afetando a flora e a fauna das regiões circunvizinhas e o homem, pela cadeia alimentar. E o pior: o ser humano não metaboliza essas substâncias, o que pode causar graves danos ao sistema nervoso e até câncer e também pode afetar o fígado, os rins e os pulmões, pois eles são bioacumulativos. o cádmio é cancerígeno, o chumbo pode provocar anemia, debilidade e paralisia parcial, e o mercúrio pode também ocasionar mutações genéticas. Por isso descartar conscientemente esses materiais é importante para o ambiente.

Por outro lado, pilhas e baterias recicladas viram pigmentos que dão cor a fogos de artifício, pisos cerâmicos, vidros e tintas.

Como já foi dito para alguns tipos de pilhas e baterias, é imprescindível um descarte coreto. É o caso principalmente das que tem uma advertência no corpo do produto com um em uma lata de lixo. De qualquer modo, a iniciativa de jogar em lixo com destinação certa pode amenizar o problema que já apontamos, mesmo que não haja nenhuma indicação específica.

Algumas empresas como supermercados, bancos ou redes de farmácia têm seus cestos para descarte de pilhas e baterias. Essas iniciativas são muito interessantes já que, por causa do pequeno volume, esse processo acaba sendo pago pela própria empresa, dentro dos seus programas de responsabilidade social, prontificando-se a recolher os produtos.

http://super.abril.com.br/ciencia/como-feita-reciclagem-pilhas-baterias-667505.shtml


Secretaria Municipal de Educação
Prefeitura Municipal de Lajedo - PE

quarta-feira, 28 de maio de 2014

ESCOLA AMBIENTAL CONTRIBUI COM A MATA ATLÂNTICA

27 DE MAIO DIA DA MATA ATLÂNTICA

ESCOLA AMBIENTAL está situada na área de caatinga, num bioma de transição na região meridional do agreste de pernambuco, desde 2013 contribuirmos com o plantio de 520 mudas de árvores da Mata Atlântica onde em sua maioria foram da espécie do Pau-Brasil, fizemos o plantio de Acácias, Cedros, e Mognos e Ipês -roxos. 

Lançamos um programa de plantio orientado: "Plante e Adote uma Árvore", que só este ano já atingiu mais de 500 estudantes das redes publicas, estadual e particular de ensino.
 Contamos com a parceria do Parque Histórico Nacional dos Guararapes, Funbrasil e Fundação Bradesco para captação das mudas.


Atuamos no espaço rural e em escolas urbanas

     Hoje resta só 8,5% de Mata Atlântica, somos agentes transformadores do meio em que vivemos, então que transformemos para melhor, com responsabilidade, no agora e conscientizando para todo o sempre. Temos um trabalho sério e comprometido e com o apoio da Fundação Bradesco de Garanhuns em julho plantaremos em solo lajedense mais 1.000 mil mudas.

    Nossas ações e intervenções não param, pois a cada dia buscamos novas parcerias na luta por uma educação ambiental atuante.

Texto e imagens:Andréa Félix

Secretaria Municipal de Educação
Prefeitura Municipal de Lajedo - PE



terça-feira, 27 de maio de 2014

Escola Cinderela em Aula Prática na Escola Ambiental

Recebemos na última quinta-feira os estudantes do 6º da Escola Cinderela para uma aula prática abordando como temática o Lixo e a Estrutura e Funcionamento do Aterro Sanitário. É evidente a importância de sensibilizar a sociedade para agirem de modo responsável e com consciência, conservando o ambiente saudável no presente e para o futuro.

Leandro Rocha
Biólogo licenciado
Pós-graduando em Gestão Ambiental pela UPE. 
Professor de Biologia e Ciências Naturais
da redes particular e município de Lajedo - PE

A relação do homem com a natureza à sua volta está diretamente ligada à qualidade de vida que temos e a escola como agente formador, tem a função de ser exemplo de ações vinculadas com a Educação Ambiental. Nesta perspectiva, a instituição é gestora de seu ambiente, cabendo à mesma desenvolver atitudes que promovam a mudança de postura dos estudantes. Segundo Vasconcellos (1997), a presença, em todas as práticas educativas, da reflexão sobre as relações dos seres entre si, do ser humano com ele mesmo e do ser humano com seus semelhantes, é condição imprescindível para que a Educação Ambiental ocorra. Dentro desse contexto, sobressaem-se as escolas, como espaços privilegiados na implementação de atividades que propiciem essa reflexão, pois isso necessita de atividades de sala de aula e atividades de campo, com ações orientadas em projetos e em processos de participação que levem à autoconfiança, a atitudes positivas e ao comprometimento pessoal com a proteção ambiental implementados de modo interdisciplinar (DIAS, 1992).
A conservação do meio ambiente e, consequentemente, da qualidade de vida tem sido uma preocupação da sociedade há muitos anos. Intensifica-se, com isto, a demanda por atividades que estimulem o desenvolvimento de uma consciência ambiental, não só ecológica, do ponto de vista da natureza, mas também visando às questões social, cultural e econômica relacionada à existência do homem. Sendo assim, devemos partir do princípio de que a educação ambiental é uma proposta que deve alterar consideravelmente o modelo tradicional de educação, não sendo necessariamente uma prática pedagógica voltada para a transmissão de conhecimentos sobre ecologia no sentido reduzido da palavra. Seu propósito fundamental é mostrar as correlações econômicas, políticas, sociais, culturais e ecológicas do mundo, contribuindo, portanto, para o desenvolvimento de um espírito de responsabilidade e solidariedade entre os indivíduos e as sociedades.
A conscientização ambiental se dá através da busca de tecnologias alternativas, que busquem diminuir os problemas ambientais causados pelo avanço da tecnologia. Pensando no desenvolvimento desta consciência e de um planeta sustentável, pode-se problematizar sobre o papel da educação ambiental como instrumento crítico de reflexão do modelo de desenvolvimento e o impacto que estas escolhas individuais têm dentro da sociedade. Desta forma, ela possui um enfoque transformador, pois defende a busca por outra forma de relação do ser humano com o meio ambiente. Muitos ainda a confundem com transmissão de conhecimentos ecológicos, trazendo para a educação ambiental um enfoque puramente disciplinar e restrito.







REFERÊNCIAS

DIAS, G. F. Educação Ambiental: princípios e práticas. São Paulo, Gaia, 1992.


VASCONCELLOS, H. S. R. A pesquisa-ação em projetos de Educação Ambiental. In: PEDRINI, A. G. (org). Educação Ambiental: reflexões e práticas contemporâneas. Petrópolis, Vozes, 1997.


Texto e imagens: Leandro Rocha e Julieta Beserra

Secretaria Municipal de Educação
Prefeitura Municipal de Lajedo - PE

quinta-feira, 22 de maio de 2014

CIENTISTAS DESCOBREM NOVO TIPO DE PLÁSTICO RECICLÁVEL POR ACIDENTE


CIENTISTAS DESCOBREM NOVO TIPO DE PLÁSTICO RECICLÁVEL POR ACIDENTE


Empresa descobriu novo polímero. (Foto: Divulgação/IBM).

Pesquisadores americanos criaram por acidente uma nova variedade de plástico reciclável, segundo um estudo publicado na revista Science.

A descoberta poderá ser usada para fazer peças rígidas e gelatinosas e aplicada na fabricação de carros, aviões e eletrônicos mais baratos e menos poluentes.

Jeanette Garcia, do centro de pesquisa da IBM em San Jose, nos Estados Unidos, descobriu o novo tipo de plástico ao esquecer de incluir um dos três componentes de uma reação química para produzir um tipo de plástico conhecido como “thermoset”. “Acabei com esse pedaço de plástico na mão e tinha que descobrir o que era”, disse Garcia à BBC.

“A primeira coisa que fiz foi pesquisar a literatura científica para ver se isso já tinha sido feito antes, porque achava que sim já que se tratava de uma reação química bastante simples.”

Por ser leve e resistente, o plástico “thermoset” é usado em carros modernos e aeronaves, muitas vezes misturado a fibras de carbono. Mas nenhum tipo deste plástico podia ser reciclado – até agora. A nova variedade pode ser dissolvida em ácido, o que a reverte a seus componentes originais, que podem ser reutilizados.
Potencial inovador

“Seu potencial é enorme”, disse Charl Faul, químico de materiais da Universidade de Bristol.

James Hendrick, que chefiava a pesquisa feita na IBM, explica que uma peça feita com este plástico poderá ser facilmente reparada ou reciclada em vez de ser jogada fora quando sofrer algum dano ou terminar sua vida útil.

“Isso nos permitirá economizar muito dinheiro e diminuir o desperdício”, disse Hendrick. O cientista ainda prevê usos inovadores para o novo material: “Ainda estamos descobrindo suas propriedades, mas, sempre que um novo polímero é descoberto, isso leva uma série de novos materiais.” [Da BBC]


Fonte:mundobit

domingo, 18 de maio de 2014

Aula Temática: Educação Ambiental, Aterro Sanitário, Artes Visuais, História e Cidadania - Escola Profª Irene Leão







A ESCOLA AMBIENTAL recebeu na última quinta-feira os estudantes do 5 º ano da Escola Professora Irene Leão (Bom Jesus). 
Um dia de bastante aprendizagem com alunos críticos, que realmente se preocupam com o problemática do lixo em Lajedo e as consequências que a deposição inadequada causa ao meio ambiente.

Durante a visita tivemos a palestra sobre ESTRUTUTURA E FUNCIONAMENTO DO ATERRO SANITÁRIO DE LAJEDO, uma explanação sobre a EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DE LAJEDO, comemorada no dia 19 de maio e a VISITA MONITORADA AO ATERRO SANITÁRIO. 
Na volta pedimos aos alunos que fizessem cartazes para homenagear os 65 anos da cidade e o tema foi: MINHA CIDADE NO FUTURO. Neste cartazes os alunos puderam expressar todo o seu conhecimento e imaginação em produções artísticas lindas e educativas.






Edilma Valença Bizarria, Geógrafa e Pós-graduanda em Gestão Ambiental
A ação de conscientização das crianças é uma das formas de levar a Educação Ambiental à comunidade, pois um dos elementos fundamentais no processo, já que os mesmos terão conhecimento das medidas a serem tomadas para que ocorra a preservação dos recursos naturais, que estão ficando extintos na sociedade atual, que consomem desenfreadamente sem a menor consciência ecológica dos problemas ambientais que estão causando a população atual e futuras gerações. Porém é fundamental que haja empenho para aplicação de pequenas ações, pois apenas desta forma atingiremos resultados satisfatórios, pois o conjunto das mesmas significa o poder transformador de hábitos e conceitos devastadores dos patrimônios naturais. Desenvolvendo nessas crianças e consequentemente na comunidade hábitos e atitudes sadias de conservação ambiental e respeito à natureza, transformando-os em cidadãos conscientes e comprometidos com o futuro do país. 
A natureza já não tem mais pontos de referência na sociedade atual. As pessoas são arrastadas pelas novas tecnologias e cenários urbanos, e existe pouco da relação natural que havia com a cultura da terra. Para que a situação não piore, é preciso agir, proteger o ambiente. 
Certamente, a aprendizagem será mais eficaz se a atividade envolver as situações da vida real, do meio em que vivem os alunos, sempre com o objetivo de demonstrar que, se bem aproveitados e preservados, os recursos do meio ambiente só trazem benefícios para todos. 

Fotos dos cartazes para homenagear os 65 anos da cidade e com o tema:  MINHA CIDADE NO FUTURO.







 Texto e Imagens: Julieta Beserra e Edilma Bizarria

Secretaria Municipal de Educação
Prefeitura Municipal de Lajedo - PE

Postagem em destaque

CALENDÁRIO ESCOLAR ESTADUAL 2020

INSTRUÇÕES NORMATIVAS SEE 08/2017 LINK:http://www.educacao.pe.gov.br/portal/upload/galeria/19310/INSTRU%c3%87%c3%83O%20NORMATIVA%20SEE%...